Imprensa‎ > ‎SCAINews‎ > ‎Ago2015‎ > ‎

Desenvolvimento de Novos Negócios

Desenvolvimento de novos negócios
Por Daniel Schnaider


Praticamente toda empresa que tem recursos financeiros em caixa, acaba entrando em novos negócios. Famosos casos como o da eBay que entrou no mercado de telefonia na internet através da aquisição da empresa Skype, o da Nike em 1995 entrando no mercado esportivo de Golf, a Google no mercado de redes sociais, Home depot na China ou no Brasil a Odebrecht no mercado de defesa entre muitos exemplos.


Acontece que a grande maioria das empresas que tentam entrar em novos mercados ou desenvolver novos negócios fracassam. A empresa de consultoria Bain & Company fez um estudo de cinco anos com 1850 empresas e chegou a conclusão que 75% das tentativas de desenvolver novos negócios fracassam.


Existem alguns comportamentos corporativos que levam empresas a serem bem sucedidas ao entrarem em novos negócios, como também existem uma série de atitudes que são tomadas pelas empresas que fracassam.


Vamos começar pelo que parece ser comum entre empresas que fracassam ao entrar em novos negócios:


Perda de foco

Talvez o mais notório entre todos os erros ao tentar desenvolver novas áreas de negócio é a perda do foco daqueles negócios que trazem a maior parte da rentabilidade. A tentativa de desenvolver novos negócios exige tantos recursos financeiros e principalmente tempo de seus principais executivos, que o principal fonte de renda começa a ser negligenciada. Em pouco tempo a empresa se vê com dificuldades de caixas, e abandona o novo negócio depois de significativos investimento em tempo e capital.

Alinhamento

Seguindo o desafio do foco, o problema na escolha de novos negócios é sua falta de alinhamento com o chamado “core-business” da empresa. O empresario escolhe o novo negócio pelo que entende ser algo com um grande potencial. Como sempre escuto das empresas, “esse novo negócio será bem maior do que nossa empresa”. Acontece que sem que haja sinergia entre o novo negócio e o “velho” negócio, fica muito mais complicada a nova jornada. Veja como exemplo o fracasso do grupo eBay na acquisição da Skype. Será que não havia para onde expandir o próprio negócio eCommerce que valia tanto a pena entrar em um mercado totalmente desconhecido e com sinergia questionável?

Conhecimento

O que chama a atenção em toda empresa bem sucedida é seu profundo conhecimento de mercado. Essas empresas entendem a necessidade de seus clientes, porque compram delas e não de seus concorrentes, entendem como precificar seus produtos, e conhecem as especificidades das leis e regulamentação, conhecem bem seus concorrentes, e as tendências de mercado. As empresas que fracassam ao expandir para novos negócios em geral não sabem responder a estas perguntas. Este foi o caso da Home Depot na china, que simplesmente desconhecia a cultura Chinesa.

Equipe

Quanto menos sinergia existe entre seu atual negócio e novo, e quanto menor é seu nível de familiaridade com o mesmo é mais provável que você não tenha a equipe certa para vencer neste novo desafio.

Plano

Se você não tem a equipe certa então quem fará o plano para desenvolvimento deste novo negócio?

Recurso

Sem um bom plano, como você saberá o nível de orçamento que será necessário? De fato, o desenvolvimento de novos negócios fracassam muitas vezes porque o plano financeiro não existe, ou porque sua execução depende do resultado do negócio principal. Essa falta de previsibilidade compromete o novo negócio.  


Mas o que fazem as empresas  que são bem sucedidas na expanção de novos negócio que nao fazem as firmas que fracassam

Disciplina Sistemática

Empresas que sistemáticamente tem sucesso no desenvolvimento de novos negócios, mercados, setores, tecnologias, criam departamentos que são especializados na expansão da empresa. Elas estudam o novo mercado, verificam os gaps, de conhecimento, cultura, equipe, criam planos, estudos, planos de negócios e claro acumulam vasta experiência na expansão.


Uma excelente comparação entre sucesso e fracasso seria o caso da Nike e a Rebook. Enquanto a Nike se tornou em uma empresa com disciplina e sistemática na expansão para novos negócios (nos anos 90 e começo do milênio) aumentando sua lucratividade de 164 milhões de dólares para 1.1 bilhões de dólares, a Rebook fez todos os erros destacados penalizando sua lucratividade de 309 milhões de dólares para 247 milhões de dólares. Resta a você escolher qual será o seu modelo de sucesso.  


Comments