Imprensa‎ > ‎SCAINews‎ > ‎Mai2016‎ > ‎

Novos horizontes por Daniel Schnaider

Novos horizontes

O Real fraco é um pesadelo para os dependentes de produtos e serviços importados, mas pode ser uma grande oportunidade para quem tem a coragem de olhar para fora das fronteiras brasileiras. São inúmeras as formas de fazer negócios “overseas” e como muito das escolhas no mundo dos negócios, errou, pagou.


Entre as formas mais antigas de ter seus produtos comercializados em outros países é a exportação. A exportação pode ser direta, ou seja, cabe a sua empresa cuidar e se especializar nas burocracias envolvidas, ou através de uma trading, empresa que fará todos os tramites para você.


De outro lado é possível ter a importadora, a trading, a distribuidora, cliente, parceiro, etc. Aqui começam as grandes escolhas a serem feitas: quem irá comprar o seu produto do outro lado? Tem mercado? Como você sabe se tem mercado? Seu preço e qualidade são competitivos? Por que este mercado e não outro? Exemplo: Estados Unidos ou China podem ser os maiores mercados do mundo, mas podem ter muito mais concorrentes também!


O mercado internacional não é sempre algo simples. Do ponto de vista macroeconômico se entende que um pais que consegue importar produtos por um preço mais barato está melhorando a qualidade de vida de sua população e a do país exportador. Porém comércio internacional é um assunto sempre polêmico, veja que o TPP Trans-Pacific Partnership, acordo de livre comércio, firmado em Fevereiro 2016 entre Austrália, Canada, Japão, Malásia, México, Peru, Estados Unidos, Vietnã, Chile entre outros,  é um dos assuntos em debate pelos candidatos a presidência dos EUA, Hilary Clinton e Donald Trump.


Em outras palavras, não é suficiente ter um produto de qualidade com bom preço, é preciso entender como é tratado pelos diversos acordos entre o país de origem e o pais de destino. Perceba-se que não disse Brasil explicitamente porque muitos empresários brasileiros produzem na China, India e Taiwan, como exemplo. Sendo assim, não basta conhecer as regras do Brasil nesta cadeia internacional e sim de todos os países envolvidos.


Um passo adiante, é possível montar um empresa no país de destino, ou em um país mais amigável em termos de comércio internacional. Por exemplo, meu cliente decidiu abrir sua filial na Inglaterra para vender produtos e serviços na Europa, e também para prestar atendimento para sua pequena operação nos EUA.


A questão da estratégia de internacionalização exige uma posição sobre o plano de “go-to-market”. Os produtos serão vendidos por distribuidor? Criaremos um mecanismo de franquia? Licenciaremos a marca ou usaremos white-labeling (onde a loja ou o distribuidor usam a sua marca no seu produto)?


A empresa de software Oracle quando estava realizando seus esforços de se tornar uma empresa global, nomeava um parceiro comercial mestre onde o contrato lhe dava direito de comprar este parceiro com uma fórmula pré-definida. Assim, quando a empresa no destino já havia se estruturado a Oracle a adquiria. Para a Oracle era um excelente negócio que permitiu ver sua marca globalizada em um período de tempo bem curto com pouco investimento. Para o parceiro, ele representava uma das marcas mais fortes de software do mundo, o que abria com certeza portas para realizar vendas locais com mais facilidade. Estratégia semelhantes foram usadas por outras empresas de Software.


Considerando o caso de parcerias e/ou joint-ventures a identidade desses pode definir o sucesso e fracasso de toda operação internacional. As condições de tempo a ser investido pelos executivos, conhecimento da cultura local, habilidades de negociação, termos & condições de contrato e segurança jurídica no país de destino serão decisivas para o sucesso da operação.


Até agora, mencionamos mecanismos que são de praxe de mercado. Mas a era da globalização e a internet traz algumas opções inovadoras que podem trazer um diferencial. Sites como Amazon e eBay por exemplo, permite a abertura de lojas virtuais para um público ativo já existente. As formas de pagamento e logística fica simplificada pois você trabalha com um mecanismo só.


Outra forma é usar os sites de crowdfunding como Gofundme, Kickstarter, Indiegogo entre outros. Neste caso, se entende que você quer criar um produto inovador, mas nada impede que sua estória seja viabilizar um determinado produto em um mercado específico. Se um número de pessoas significativo se convencer que seu plano de negócios é bom e confiável, e receber algo interessante em troca, você acabou de conseguir um fonte de recursos com baixo risco para viabilizar seu negócio internacional. Exemplo: se o seu produto é traduzir o seu livro para o Inglês e/ou Chines e comercializá-lo, você poderá usar este site para descobrir se há demanda pelo seu produto antes de fazer investimento, e se por acaso a resposta é positiva, os seus primeiros clientes farão uma compra antecipada viabilizando o produto em si.


Para profissionais liberais como designers, programadores, escritores etc. vocês podem usar o site Fiverr como uma fonte de renda de serviços exportados. Aqui você cadastra sua habilidade como desenvolver logos, serviços de tradução, desenvolvimento de slogan para empresas, áudios ou vídeos empresariais, entre várias outras possibilidades que são comercializados para empresas no mundo todo. A SCAI Group veio usando este tipo de serviço para ajudar seus clientes, e está conseguindo economizar valores significativos de até 80% com custo de mão de obra qualificada, com aumento de qualidade e melhoria de eficiência nos projetos de rebranding como exemplo.  


O mais importante sobre essas novas tecnologias é que permitem testar o mercado antes de realizar investimentos, o que era muito difícil há poucas décadas.


Qualquer que seja sua escolha, o empresário não pode ignorar o fato que nesses 3 últimos anos a economia brasileira entrou em profunda recessão, com uma mistura de redução do PIB, alta inflação, juros altos, alto desemprego, redução do salário médio, aumento eminente de impostos, redução do crédito e de sua qualidade, fuga dos investidores e péssimas perspectivas para o futuro. É neste cenário que olhar para novos horizontes pode ser sua única saída.   


Comments