Imprensa‎ > ‎SCAINews‎ > ‎Mar2016‎ > ‎

Devagar e sempre por Daniel Schnaider

Devagar e sempre

É difícil imaginar alguém de sucesso que não seja persistente. Warren Buffet, o mais bem sucedido investidor do mundo, ficou milionário depois de 15 anos de trabalho, bilionário após 45 anos de trabalho com 60 anos de idade.


Em uma conversa com minhã esposa, ela me perguntou o que me motiva, ou seja, o que me faz pular da cama todas as manhas, com energia e entusiasmo, para lidar com os inacabáveis desafios do trabalho.


O que mais me chocou nesta simples pergunta, é que não sabia a resposta. Estudo assuntos ligados a gestão a mais de 20 anos, porém não sabia como responder a esta simples pergunta.


Me parece que motivação e persistência estão fortemente ligadas. Como seria possível persistir em remar contra a maré sem motivação? Como a grande maioria das pessoa, simplesmente poderia me deixar levar, sem esforço, sem dificuldade.


A incerteza sobre o futuro ou seja o que iremos encontrar se escolhermos o caminho da persistência é o aquiles da motivação. Se saímos a uma caça ao tesouro, e não existe nenhuma garantia que iremos encontra-lo, ou que sejamos o primeiro a fazer-lo, então para que seguir este caminho; talvez as chances sejam pequenas de mais.  


Considerando que ser bilionário pode ser uma jornada de 60 anos, e que não há garantia sobre o resultado, entendo que o que deve fomentar a motivação, não pode ser um objetivo ou visão de longo prazo.


Muitos homens/mulheres de negócio, colocam suas esperanças (motivação), em um negócio que pode ou não sair. Quando a oportunidade não se concretiza, o seu mundo desaba, e o sentimento de medo, aflição e angustia obscurece o empenho e compromete a caminhada.


Winston Churchill, dizia, “Se você está passando por um inferno, continue adiante”, mas como? O sentimento de fracasso esvazia o corpo de energia, a sua mante perde a capacidade de armazenar informação, ainda mais de processar-la; sua capacidade de concentração desaparece.


Alan Weiss, um consultor empresarial americano, conhecido como o consultor dos consultores, fala em seus livros e vídeos sobre metas de curtíssimo prazo, e sobre premiação imediata. Interpretando suas recomendações entendo que a formula da perseverança é inversa desta executada por grande parte das pessoas.  


O segredo não é encontrar uma meta de longo prazo e tentar perseguir-la, isso será a concequencia. O truque é encontrar o que lhe motiva de forma imediata hoje, encontrar uma meta executável para o dia de hoje e se premiar quase que instantaneamente criando um circulo virtuoso positivo de causa e consequencia. O cérebro irá visualizar o prêmio que você pode ganhar ao lidar com o desafio como algo tangível, e ele lhe dará as ferramentas que você tanto precisa.


Mihály Csíkszentmihályi, hungaro e psicologo, que escreveu a obra “Flow: A Psicologia da Experiência Ótima” onde ele descreve sua teoria de que as pessoas são mais felizes quando estão em um estado de “fluxo” (flow), um estado de concentração ou absorção completa com a atividade em questão. É um estado em que as pessoas são tão envolvidas em uma atividade que nada mais parece importar, inclusive tempo, fome e ego.


O termo "fiero" foi sugerido pela psicóloga italiana Isabella Poggi para descrever a experiência de orgulho após um triunfo pessoal sobre a adversidade. A escritora, e espcialista em jogos Jane McGonigal escreve sobre “fiero”,  “Você entende quando você o sente. Isso porque nós expressamos fiero exatamente da mesma maneira: jogamos nossos braços sobre a nossa cabeça e gritamos”.


O termo hackiar, vem da área de ciências da computação, de MIT dos anos 50. Hoje ele tem uma conotação mais genérica que significaria descobrir um atalho inteligente para realizar algo que de outra forma seria complexo ou levaria muito tempo.


Para hackiar os segredos  envolvidos na persistência necessários para o sucesso de longo termo, temos que obrigatoriamente olhar para o dia de hoje, tomando atitudes e ações que criam flow e fiero, que acionam nossos hormônios da felicidade como endorfinas, dopamina e serotonina. Ao lidar com o inevitável stress da vida moderna, diz a Ph.d em Psicologia, Kelly McGonigal em sua palestra, “temos que entender como funciona o hormônio social ocitocina, que nós ajuda a superar desafios através de interações sociais.”


O conhecimento para ser tornar persistente e invariavelmente ter sucesso está hoje disponível, e acessível a todos. Como uma neném que esbanja felicidade ao conseguir dar seu primeiro passo, atraindo aplausos, beijos e abraços de seus familiares. É só começar, um pequeno paço por dia, e festejar cada um deles; assim, devagar e sempre.


Daniel Schnaider


Veja também o artigo Stress: a mãe dos desafios


Comments