Imprensa‎ > ‎SCAINews‎ > ‎Nov2014‎ > ‎

Entrevista com Prof. Dr. Moacyr da Graça



1. Qual são os assuntos abordados pela área de Facility Management? 
A atividade Facility Management, nos dias de hoje, tem por finalidade assegurar a usabilidade do meio ambiente construído ao longo de todo o ciclo de vida das edificações, suportando as necessidades e desejos dos usuários.
As atividades devem gerar experiências significativas para as pessoas produzindo transformações e agregando valor às diversas atividades das organizações. Tudo aquilo que se faz em Facility Management deve estar devidamente alinhado às estratégias corporativas para a consecução dos propósitos das organizações.

2. Comparado com a Europa e o EUA, como é a situação das empresas Brasileiras no que diz respeito a Facility Management? 
Fazemos Facility Management no Brasil de uma forma típica muito influenciada pela nossa cultura. O brasileiro tem características diferentes dos países onde a área está mais organizada. Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Dinamarca, e Austrália, são exemplos onde há uma certa tradição e evolução nesta atividade. Os Europeus tem uma visão diferente da dos americanos que, a meu ver, demasiadamente focada na edificação e menos na utilização. Entendo que na Europa a preocupação dos gestores com as pessoas é bastante relevante. A Usabilidade e a experiência no ambiente de trabalho são temas atuais discutidos na comunidade européia. Quanto ao Brasil podemos dizer que falta mais precisão e utilização de métodos de gestão mais apurados bem como desenhos organizacionais mais efetivos. Ainda prevalecem estruturas resultantes de "geração espontânea" e casuísticas por falta de visão adequada da importância que os ativos imobiliário tem no desenvolvimento de negócios. Perde-se muito dinheiro com gestão inadequada. O ponto central das diferenças é que Faciility Management no Brasil ainda é realizado por proprietários e usuários e muito pouco por profissionais realmente habilitados. Temos, no entanto, um aspecto em nossa gestão que muito impressiona os estrangeiros quando nos visitam, é a flexibilidade, o "jogo de cintura", o "jeitinho brasileiro". Isto é bom pois a atividade exige respostas rápidas e adaptabilidade. Assim, podemos dizer que temos atributos para exercer bem a atividade mas precisamos melhorar as organizações por meio da profissionalização, obtendo com isto resultados mais eficientes e efetivos. Não podemos, no entanto generalizar estas afirmações. Há no Brasil, bons exemplos de Facility Management realizada com alta qualidade. Mas isto ocorre, onde a alta direção das empresas realmente reconhece o valor e apoia as iniciativas dos profissionais responsáveis.


3. Muitos executivos não dão atenção a facilities uma vez que não está relacionado com o "core-business" da empresa. É possível ter impacto na eficiência da empresa através de mudança na gestão de facilities? 
A afirmação de que muitos executivos não dão a devida atenção a facilities é verdadeira e real. A questão que se coloca é que a relação com o core business não é bem compreendida. Facility Management é uma atividade meio e não uma atividade fim. Isto é somente tem razão de ser se devidamente alinhada com os negócios da empresa e às aspirações de seus funcionários, que a cada dia se tornam mais relevantes. Assim o bom trabalho na infraestrutura pode causar impacto significativo nos resultados da empresa. Um ambiente de trabalho bem projetado e bem gerenciado permite a execução dos trabalhos core com mais eficiência, produtividade, criatividade, e desenvolvimento de coesão entre colaboradores sendo fator fundamental para atração e retenção de talento. Hoje um grade desafio entre os pesquisadores em Facility Management está no desenvolvimento de modelos para avaliação do impacto que a atividade tem no core business procurando tornar objetivas as medidas de valor agregado ao negócio. Isto porque os benefícios, apesar de reais, não são em geral tangíveis. Há um grande esforço na Europa para tangibilizar as contribuições de Facility Management de modo a tornar mais fácil a visão e compreensão de FM com driver de core business pelos executivos mais voltados para o negócio propriamente dito.


4.O que devem fazer empresas que querem aprimorar seus conhecimentos no setor de facilities?
Repensar a atividade de Facility Management na empresa. Isto passa por uma avaliação honesta acerca do ambiente de trabalho, da infraestrutura oferecida, dos serviços para os clientes internos e usuários externos, avaliação da ocupação dos espaços, estado geral do patrimônio imobiliário, etc... para mencionar alguns aspectos para reflexão. Certamente o exame destas coisas apontará deficiências de gestão com inúmeros cases que poderiam ter a causa atribuída operação e manutenção da edificação e do espaço de trabalho. Causas típicas são perdas de horas de trabalho por falta de energia, manutenção inadequada de equipamentos, dimensionamento inadequado de espaços (para reuniões, por exemplo), ocupação inadequada, etc... Quase que invariavelmente a origem destes problemas se encontra em um sistema inadequado de gestão que necessita ser redesenhado, e operado por profissionais quer sejam da casa ou terceirizados. Cabe dizer que há muitas empresas que imaginam resolver seus problemas de infraestrutura terceirizando os serviços como que se livrassem deles. Isto é lêdo engano, para a operação bem sucedida há que se prover um efetivo sistema de governança no seio da empresa para realizar a correta gestão do "terceirizados" compatibilizando-se a escolha dos terceiros com o nível de maturidade administrativa da empresa e do "terceirizado". Isto não ocorrendo, é fato simples de se verificar a oscilação entre soluções orgânicas e terceirizadas. Isto se dá por falta de políticas adequadas de terceirização e de controle efetivo do processo. Ainda, há que se agregar competência ao processo. Nós, na Escola Politécnica da US, temos dado nossa fração de contribuição com o oferecimento de um curso MBA/USP - Gerenciamento de Facilidades desde 2002 (segundo mais antigo do mundo) que já colocou no mercado inúmeros profissionais de qualidade. Temos oferecido também (desde 2013)  o curso Gerenciamento de Ativos Imobiliários Corporativos em parceria com CoreNet Brasil para designação Master of Corporate Real Estate - MCR da CoreNet Global. Além disto temos realizado alguns trabalhos bastante robustos de assistência e consultoria para a melhoria de gestão de bases imobiliárias de grande porte, bem como temos realizado diversos trabalhos sobre diversos aspectos ligado ao tema. Esta tem sido a contribuição da Escola Politécnica da USP para a sociedade brasileira que se coloca a disposição de interessados a qualquer tempo e com muita satisfação.

Comments