ARKIA LUZ SEMPRE - DEFESA FÍSICA

Componente de defesa física para infraestrutura crítica do setor elétrico

Daniel Schnaider, Diretor de Serviços de Consultoria e Projetos, Arkia Group

Primeira versão: 01/02/2008;         Atualizado em 06/2011

Arkia Luz Sempre é uma solução que visa melhorar a disponibilidade do sistema elétrico para a população. Limitar o problema conhecido como “apagão” (conhecido internacionalmente como Blackout).

As consequências sócio-econômicas da falta de energia são imensas. Um estudo realizado pela Arkia Consultoria e Projetos revela que 10 horas de apagão no setor sudeste do Brasil, tem um custo de 10 Bilhões de Reais, já 24 horas de apagão custariam quase 50 bilhões de reais à economia Brasileira. Já a receita anual de todo o sistema elétrico está abaixo dos 100 bilhões por ano.

São diversos os “eventos” que podem criar um apagão incluindo, mas não limitado a roubo de cabeamento elétrico, desastres naturais, ataques cibernéticos, acidentes, fraudes e erros técnicos.

A Arkia divide as ameaças ao setor elétrico em três componentes:

  1. Físico
    Que inclui toda a infraestrutura física do sistema elétrico, desde da geração de energia (hidrelétrica,nuclear, biodiesel, solar, etc), da sua transmissão (mais de 100 mil KM de extensão) e subestações (centenas de subestações em todo o Brasil), até a sua distribuição para as residênciasindustrias, empresas e outros entes.
  2. Cibernético

Que inclui todos os sistemas de operação, principalmente o sistema SCADA (Supervisory Control and Data Aquisition), as redes de telecomunicações, os sistemas  de monitoramento e controle em tempo real, e os sistemas de TI, intranet e internet.

  1. Recursos Humanos

Que diz respeito às pessoas que operam o sistema elétrico, os procedimentos, metodologias, treinamentos, protocolos e riscos fraudes.

Arkia Luz Sempre é nossa solução holística para o desafio de um sistema elétrico resiliente à diversas ameaças ao setor elétrico que inclui ameaças diversas ao sistema físico, cibernético e recursos humanos.

Se atualize em nosso site para mais informações.

O Componente Físico

A rede elétrica é destinada a assegurar um suprimento confiável de eletricidade, mesmo diante de condições adversas. A experiência na gestão de situações de emergência tem preparado os órgãos e empresas competentes para tal e para responder a um amplo espectro de ameaças, usando estruturas, recursos e planos existentes. Este espectro de eventos variam desde invasão simples, por vandalismo, a distúrbios civis, referentes à atos de terrorismo e a sabotagem, sabotagens estas que podem ser de origens internas ou externas, e cujas ações podem ser cibernéticos ou de natureza física.

É necessário avaliar e identificar possíveis fatores, internos e externos que podem afetar a normalidade do fornecimento de energia elétrica nas efetivas instalações. Há de se questionar se, intencionalmente ou por vandalismos, indivíduos, fenômenos climáticos severos, enchentes ou outras causas identificáveis poderiam causar falhas graves na distribuição de energia, provocando situações semelhantes ao blecaute ocorrido em 10 de novembro de 2009 ou até mesmo à crise do apagão ocorrida em 2001 que acarretou em um racionamento de Energia que perdurou entre os anos de 2001 e 2002.

Embora o racionamento energético de 2001 a 2002 tenha sido causado por restrições naturais, assim como apagão ocorrido em Novembro de 2009 que afetou 18 Estados ocorreu também por causas naturais, deve-se levar em conta que um ataque terrorista ou cibernético tem o potencial de inutilizar equipamentos, tanto na camada de geração como na distribuição, o que possivelmente levaria a um racionamento e, em alguns cenários, o colapso do sistema energético devido a oferta reduzida de energia.

É recomendável, portanto, ampliar mais ainda o foco das possibilidades de ataques, uma vez que estamos próximo da realização de eventos de repercussão mundial, como a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016, eventos estes que podem atrair interesses de agentes sabotadores internos ou externos, pelos mais diversos motivos.

É necessário sempre estar avaliando a possibilidade desses eventos ocorrerem e a potencial perda socioeconômico, avaliando também o nível de emergência, a prioridade, e recursos que devem ser disponibilizados para a o retorno a normalidade.

Somente para citarmos como exemplo parte dos custos pela suspensão de fornecimento de energia elétrica, os consumidores de energia elétrica receberam R$ 360,24 milhões em compensação por interrupções no fornecimento de energia elétrica em 2010, e somente no primeiro semestre de 2011 os consumidores receberam R$ 163,77 milhões, um valor de 7,43% superior o montante pago no mesmo período de 2010, que foi de R$ 152,44 milhões, conforme dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Diante deste cenário, faz-se necessário a elaboração de procedimentos contendo as abordagens gerais de segurança com recomendações de práticas e filosofias de planejamento a serem aplicadas na proteção da infraestrutura de sistemas elétricos. Programas específicos ou implementação de recomendações de segurança devem refletir a avaliação das necessidades, vulnerabilidades e conseqüências e sua tolerância ao risco. É necessário ainda reavaliar periodicamente os planos, procedimentos e protocolos existentes para considerar as vulnerabilidades de infraestruturas críticas, levando sempre em consideração um contexto atual cheio de novas ameaças.

A definição mais usual de infraestrutura crítica é aquela que, uma vez prejudicada por fenômenos de causas naturais, como terremotos ou inundações ou por ações intencionais de sabotagem ou terrorismo, traz grandes reflexos negativos para toda uma nação e sua sociedade. São exemplos clássicos de infraestruturas críticas: as redes de telecomunicações, os sistemas de captação e distribuição de água, e as fontes geradoras e as redes de distribuição de energia.

Os órgãos responsáveis pela gestão da infraestrutura de energia elétrica devem implementar planos para atender os seguintes tópicos:

  1. Análise da infraestrutura de fornecimento de energia
  2. Avaliação de Vulnerabilidade e Riscos
  3. Agilidade na Resposta à ameaça
  4. Gestão de Situações de Emergências
  5. Comunicações entre os Órgãos e Comunidade
  6. Sistema de Segurança Física
  7. Pesquisa de Segurança
  8. Simulações e Teste de Stress
  9. Proteção do Sistema de Informações

No contexto da segurança física, a Arkia Consultoria e Projetos identificou, durante visitas a locais de infraestrutura elétrica crítica, uma variedade de vulnerabilidades que põem em risco a fornecimento continuo e seguro de eletricidade para os consumidores.

Por este fim, a Arkia junto a seus parceiros desenvolveram a solução Arkia Luz Sempre, que permite fazer a segurança completa dos sistemas de geração, transmissão e logística que envolve o sistema elétrico, seja a fonte do evento, desastre natural, fraude, vandalismo, roubo, acidentes ou terrorismo, como também erros humanos.

Com Arkia Luz Sempre a instituição poderá apresentar uma melhor qualidade de serviço para seus clientes, uma receita mais estável para seus sócios e investidores, segurança para seus funcionários, e tranquilidade para os executivos.

Quer conhecer mais sobre Arkia Luz Sempre. Entre em contato,

Fale conosco